segunda-feira, 17 de junho de 2013

Não é só por 20 centavos. Também é pelo meu tio, que morreu por falta de segurança no Rio de Janeiro.

Se você me dissesse que esses 20 centavos melhorariam as condições de transporte, educariam os motoristas de ônibus e manteriam o veículo seguro, eu pagaria.
Se você me dissesse que 20 centavos trariam meu tio de volta... Desculpa, hipótese impossível. Reitero: se você me dissesse que 20 centavos assegurariam que mais nenhuma família no Brasil iria precisar passar pela dor que a minha família passou, eu não só pagaria os 20 centavos, mas como faria questão de andar de ônibus todos os dias, só para contribuir ainda mais.
Só que esses 20 centavos não vão melhorar os ônibus, não vão trazer paz no trânsito, não vão criar segurança e não vão trazer meu tio de volta.
Meu tio morreu pela falta de segurança no Rio de Janeiro.

Esses 20 centavos provavelmente vão blindar os carros das famílias do meu prefeito, do meu governador e da minha presidente. Provavelmente vão servir de "vaquinha" para as férias remuneradas de algum ministro, ou para a construção de mais um castelo-residência com câmeras de vigilância e proteção armada.

Meu tio morreu pela falta de segurança no Rio de Janeiro.
Depois de um fim de semana de comemorações, churrascos e alegrias, enquanto eu brincava de dançar no meu videogame, minha mãe disse "Mari, desliga isso porque sua tia acabou de ligar dizendo que seu tio foi baleado e está em estado grave." E, então, nada mais foi o mesmo. Entendo que 20 centavos não trarão mais a alegria ao coração da minha tia. Também entendo que 20 centavos não vão retirar todo o trauma da perda trágica de uma das melhores pessoas que eu já conheci na minha mera simples história de vida.
Mas protestar contra o abuso de 20 centavos (e mais) pode limpar muita sujeira que deixou essa tristeza acontecer.
Meu tio morreu pela falta de segurança no Rio de Janeiro.
Acredite, não é só por 20 centavos.
De coração,
Alguém que acredita num Brasil mais justo

Nenhum comentário:

Postar um comentário