terça-feira, 30 de outubro de 2012

coração, emoção, canção, ão... não vai dar certo!

Fizeram da poesia 
uma conta matemática. 
Droga! 
Lá se vai um sonho...
Eu já quis ser poetisa. 
Claro, quando eu achava que a poesia era uma manifestação da beleza do sentimento. Não, é bem uma equação de terceiro grau sobre versos livres e presos, quartetos e tercetos sem primeiros, rimas cavalgadas e galopadas.
Quanto mais quis estudar, mais me ensinaram que a poesia é fruto da sabedoria de semi-deuses enjaulados por um tempo determinado aqui entre meros mortais, e que tiveram a chave da prisão com alguma bebida, algum amor falido, ou com a amiga morte.
Não, obrigada.
Olá, Prosa, muito prazer; me chamo Mariana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário