terça-feira, 30 de outubro de 2012

coração, emoção, canção, ão... não vai dar certo!

Fizeram da poesia 
uma conta matemática. 
Droga! 
Lá se vai um sonho...
Eu já quis ser poetisa. 
Claro, quando eu achava que a poesia era uma manifestação da beleza do sentimento. Não, é bem uma equação de terceiro grau sobre versos livres e presos, quartetos e tercetos sem primeiros, rimas cavalgadas e galopadas.
Quanto mais quis estudar, mais me ensinaram que a poesia é fruto da sabedoria de semi-deuses enjaulados por um tempo determinado aqui entre meros mortais, e que tiveram a chave da prisão com alguma bebida, algum amor falido, ou com a amiga morte.
Não, obrigada.
Olá, Prosa, muito prazer; me chamo Mariana.

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

A vida é um doce, às vezes azedo.


      Escrevi alguma coisa no facebook hoje sobre eu poder ser o meu melhor, hoje. Ah, minha boca (ou dedos?) (in)feliz. Cantarolei a vida por uns 30 segundos de alegria interior de que eu faço a diferença no mundo. E depois, comprovei que por mais que as pessoas gostem de doces bem açucarados, muitas não sabem ser doces.

     Chame de milindre, se quiser, mas me chateia ver que muitas vezes não damos o valor necessário ao encontro com o outro. Qualquer outro. Moisés precisou tirar as sandálias dos pés ao reconhecer que entrava em território sagrado quando vislumbrava a sarça ardente. E cada vida que paira sobre a Terra não é, também, território sagrado, pelo simples fato de ter o privilégio da existência?
    Cada vida que se toca é tocar um tesouro único - boa sorte aos que partcipam da riqueza do metrô na hora do rush.
     Será que quando as pessoas se apaixonam por si mesmas, elas finalmente aprendem a se apaixonar pelo outro? Ou será que somente se perderam no conceito do que é se apaixonar?

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Shhhh...

O Espírito Santo decide realizar suas mais magníficas obras no silêncio.
Foi no silêncio de Nossa Senhora, em um vilarejozinho, à meia-voz, que o Divino se tornou humano no ventre de uma Mulher que muito amou.
Foi no silêncio do conclave que, em 22 de outubro de 1978, Karol Wojtyla foi eleito Papa.
O Espírito Santo não trabalha no barulho, não porque Ele não possa, já que Deus tudo pode; mas porque no barulho só ouvimos a nossa própria voz a gritar contra ela mesma.
Virgem do Silêncio, ensina-nos a escutar. Beato João Paulo II, rogai por nós.