quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Sobre portas

Títulos confusos pedem contextualizações. Então lá vai:

Situação: Domingo de manhã. Eu e mais um grupo de amigos numa reunião. Essa reunião aconteceu em um prédio de uma certa paróquia. Como o prédio se encontrava em obras, muitas das salas ainda não tinham portas. (E aqui você já pode ir imaginando o que vai acontecer...) Assim, a nossa reunião aconteceu de portas abertas, bem como muitas outras reuniões que se davam no mesmo momento.

O que aconteceu é que, obviamente naquele momento, sentimos falta de portas. Enquanto tentávamos assistir alguns vídeos, era inevitável o pensamento que remoía nossa cabeça: "Fecha a porta!" Mas o máximo que conseguíamos fazer era se dirigir às salas do lado e pedir um pouco mais de silêncio.
Como faz falta uma porta fechada! Ou até, quem sabe, umas duas ou três portas fechadas!
E o que isso tem a ver com a minha vida?!
Comecei a refletir sobre quantas vezes eu já havia reclamado de portas que estavam fechadas para mim... Já reclamei muito com Deus sobre o estágio que eu queria, mas que não tinha conseguido passar, sobre relacionamentos dos quais tive que abrir mão... Enfim, muitas portas que (na minha pequenez) eu queria abertas, mas que me foram muito mais úteis fechadas.
Nós precisamos de algumas portas fechadas nas nossas vidas para sermos redirecionados corretamente para aquelas que nos são reservadas.
Sabe qual é o nosso grande problema? Imagine um corredor longo com várias portas de todos os lados. Ao passar pelo corredor, cismamos com uma porta, e se ela está fechada nós paramos em frente a essa porta e começamos a resmungar porque ela não deveria estar assim! (até me lembra do livro Quem mexeu no meu queijo? quando o ratinho vê que seu queijo acabou e fica olhando o vazio no seu cantinho) Não seria mais simples continuar andando até achar a porta aberta?
Na dúvida, reze! Porque no fim das contas, é Deus quem tem as chaves de cada porta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário