segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Sobre o que não é relativo

Sem pedir as desculpas agora pelo tempo q abandonei o blog e já partindo para uma reflexão q tive qdo eu queria dormir (agora há pouco...=D)

Um dos primeiros discursos do Papa Bento XVI (após ter sido nomeado papa) foi sobre a teoria da relatividade. Hoje em dia, para "apaziguarmos" controvérsias e aceitamos a desculpa esfarrapada de que todas as opiniões são relativas, depende de cada momento, situação e pessoa. E aí ficamos "de bem" com todo mundo.
A verdade não é relativa, pois se fosse, não poderia mais ser verdade.
Há algum tempo também, ouvi uma reflexão de um padre sobre a água: A água é água, e não deixará de ser. Mesmo que eu ache mais confortável para mim que um certo copo de água seja coca-cola, ela continuará sendo água. A água é água antes mesmo que eu aparecesse no mundo, quando eu comecei a existir ela já existia. Existem verdades que eu não posso mudar, mesmo que eu ache mais conveniente que eu interprete de uma certa maneira.
Assim, eu não posso mudar o fato de que Jesus Cristo é o caminho, a verdade e a vida. 
A partir daí N pessoas vão querer argumentar que já é relativa a fonte de onde tirei essa citação... (ai, ai, santa paciência!) Então, ok. Mudemos a figura:
Nesse momento em que vos escrevo estou no meu quarto com o ar-condicionado ligado (sim, o Rio de Janeiro é um lugar quente). O ar-condicionado fica em tal posição que quando você abre a porta é impossível de avistá-lo. Se você entrasse aqui agora, com certeza iria sentir que o ar está ligado, mesmo não podendo vê-lo, por conta do frio que está aqui, ao contrário do calor da sala. Eu nem iria precisar lhe convencer de que existe um aparelho que refrigera o ar do meu quarto, porque está óbvio, pelo efeito que ele  causa, de que existe e está funcionando muito bem.
Assim, eu não preciso provar para você que Deus existe. Você acredita quando percebe o efeito de Sua existência. E qual é o efeito?!?!?! A vida dos santos. O efeito da existência de Deus, mais do que a própria criação do mundo e de tudo que nos cerca, mais do que todos os milagres extraordinários que acontecem quando ele permite, é a história da vida dos santos após o encontro pessoal com Deus.
Só Deus consegue transformar a vida de alguém a ponto de que ela deseje intensamente se desprender de bens materiais, sair de si para perdoar o outro, desistir de seus próprios sonhos para sonhar os sonhos dEle, além de várias outras coisas que são consideradas loucura para o mundo.


Meu desafio para você hoje é: você conhece a história de algum santo? Escolha um e estude a vida dele ou dela. Tenho plena certeza de que você vai perceber que Ele existe, que Ele reina e que só Ele traz felicidade plena. (para facilitar, dou algumas sugestões. clique na foto de um santo - ps: eu já considero o Papa João Paulo II um santo - e você será redirecionado a um site com sua biografia)







Uma boa noite. Sejamos santos de calças jeans e tênis!