segunda-feira, 11 de maio de 2009

Bons tempos...

Não dá para acreditar!!! Em menos de uma semana, sabe o q passou d novo na TV?!?! "De repente 30"!! Então, acabei de assisti-lo pela milésima primeira vez. E sinceramente, acho q esse filme me persegue.
Já tentei alcançar várias conclusões com isso, e sinceramente acho que Deus está colocando esse filme muito frequentemente para me ensinar algo. Só pode ser! Bem, mesmo que não seja, tirei mais uma conclusão desse filme, que é interessante para a data de hoje.

Tem uma cena, que no meio da epifania da Jenna, ela percebe que gostaria de ter uma revista mais simples, com mais sorrisos, com aquele gostinho de saudade dos bons tempos... E sabe o que eu pensei?! "Bons tempos aqueles..."
Bons tempos em que eu não tinha com o que me preocupar a não ser com o dever de casa de matemática que eu sempre tinha preguiça de fazer;
bons tempos aqueles que todo dia eu comia um docinho e não precisava procurar nada light depois para cortar minha culpa;
bons tempos aqueles que antes dos meus pais chegarem em casa eu fazia um monte de desenhos para eles ficarem felizes;
bons tempos que tinha o Rá Tim Bum, sem nenuma baixaria e o Marcelo Tas era só o "porque sim não é resposta";
bons tempos quando só tinha uma televisão em casa e todo mundo tinha que entrar num acordo do que assistir...

E a minha pergunta é: O que você deu para sua mãe hoje? Ou melhor, o que você se permitiu sentir hoje? Percebi que o que todos nós desejamos mesmo é poder voltar um pouquinho no tempo através das nossas lembranças e (res)sentir aquela fase maravilhosa que foi só nossa, para poder dizer "fui feliz e não sabia". Voltar ao passado é um meio de pegar impulso para ir para frente. Sabe o que dei para minha mãe? Amor!! E vou te dizer que foi um dos anos que o meu bolso doeu menos e que deixou minha mãe mais feliz. Simplesmente desenhei para dizer o que sinto.

Desejo que possamos olhar para nossos passados e soltar suspiros ao lembrar do caramelo Nestlé ou do pirulito Zorro, além de não temer se encontrarmos no meio desse percurso alguns arranhões de feridas que sentimos.

Ou eu permito que a minha história me desfaça, ou permito que ela me refaça.

Obs: Parabéns, Mamãe!!

Um comentário:

  1. Oii Mariana!
    Amei esse post!
    ahh ainda não vi este filme que vc mencionou aí...
    É mto bom relembrar as coisas boas que vivemos no passado néé?? " SÓ SE TEM SAUDADE DO QUE É BOM, SE CHOREI DE SAUDADE NÃO FOI POR FRAQUEZA... FOI PQ AMEI!"

    Bjim e fica com Deus!

    ResponderExcluir