quinta-feira, 19 de novembro de 2009

A graça do Metrô

Tah, não vai rindo de primeira só por causa do título, não...

Mas existe uma graça sobrenatural (pelo menos para mim) ao viajar de metrô. Se você é do tipo que se prende em aparências, esse transporte é aparentemente sujo, mal cuidado, demora pra chegar e quando chega está lotado. Pessoas cheiram mal e o vagão das mulheres é barulhento que só ouvindo!

Se você sair um pouquinho da margem, verá que é um lugal especial para silenciar o coração em meio à multidão. Primeiro porque é uma ótima área para seus estudos de antropologia - nível básico - e segundo, porque é onde podemos entrar em contato com Deus num exercício de concentração contínua. Só no metrô eu consigo colocar minhas leituras em dia, rezo sem ficar enjoada e contemplo as necessidades do outro com um olhar de intercessão.

Experimente. Vai dar até vontade de viagens mais longas...

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Lições de um 11 de novembro

Hoje eu aprendi que um professor é também um psicólogo, amigo e às vezes um antropólogo. Aprendi que ser professor não é uma profissão, mas um jeito de ser.


Experimentei que a maior conquista na vida de alguém é ter conquistado outras vidas e que podemos superar nossos limites se os conhecemos.


Vi que escolhemos nossos ícones baseado no que desejamos ser e que ainda não conseguimos (e que ainda não conseguimos). Pessoas se tornam ícones de vitória, competência ou santidade através de propósitos que criaram para si mesmas e obtiveram o reconhecimento.


Aprendi que as mais lindas orações podem nascer às 7 horas da noite, no meio de um engarrafamento com uma chuva torrencial e que se pode ser feliz às 10 horas da noite, com o corpo doendo, uma amiga ao lado, no meio do engarrafamento se gabando porque conseguiu o autógrafo do Gabriel Chalita.


Ao fim, percebi que o fim de um dia não encerra as possibilidades ou felicidade, mas as reabastece para dar um novo fôlego às surpresas que estão por vir.

domingo, 8 de novembro de 2009

E onde está Deus nisso tudo?

Meditando um pouco sobre a vida, hoje, me lembrei de como as pessoas estão condicionadas à seguinte constatação: "Se tem tanta coisa ruim sobre a Terra, onde está Deus? Se Deus existisse, a Terra não seria assim..." Acho que você já deve ter ouvido alguém falar algo parecido...

A questão é que não podemos culpar Deus por uma coisa que Ele não fez. Assim como, se João bater em mim, não tem motivo de eu colocar a culpa em Pedro. Não foi o Pedro que bateu, ora!

Então, você lembra de uma pessoa chamada Noé? Logo após o Dilúvio, Deus fez a seguinte promessa a Noé: "Doravante, não mais amaldiçoarei a terra por causa do homem(...) e não ferirei mais todos os seres vivos, como o fiz." Foi promessa de Deus! Depois do Dilúvio, Ele NUNCA MAIS amaldiçoaria a terra. Então, se a culpa não é dEle, só resta perceber que é do homem, que não sabe administrar os bens que lhe foram dados. No início de tudo, Deus deu ao homem poder sobre tudo que havia sobre a terra, sobre todas as formas de vida e sobre todas as matérias. Convenhamos que não é novidade nenhuma que o ser-humano não fez muito em favor da Terra nesses últimos séculos...

Depois disso, me perguntei como, então, eu faria alguma diferença por aqui, como eu poderia minimizar esses problemas acumulados. Mais uma vez, a resposta se encontra bem perto da promessa já mencionada. Após o Dilúvio, Noé levantou um altar ao Senhor: "tomou de todas as aves puras, e ofereceu-os em holocausto ao Senhor sobre o altar".

Pensemos juntos: um altar é um lugar próprio para se realizar sacrifícios, o sacrifício envolve uma abdicação do "amor próprio". Porque, então, sacrificar as aves? Porque, no início, Deus deu ao homem poder sobre toda forma de vida. Sacrificar as aves no altar para Deus significa dar a Deus a autoridade sobre o que o homem tem por direito, é retirar a autoridade que você tem sobre suas coisas e entregá-las a Deus.



Hoje você é convidado a fazer como Noé. Porém, você não sacrificará aves, mas tudo o que você tem por direito, como a sua própria vida, a sua casa, a alimentação, as vidas que estão à sua volta. Tudo prcisa voltar ao controle de Deus. Não faça com sua vida aquilo que a humanidade fez com o planeta: não destrua o que você tem de melhor, não queira assumir o controle sozinho.

O mundo não sabe, mas o segredo para um caminho de paz é a abdicação da própria vontade.

Não esqueça que você faz a diferença!

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Tudo muda quando você muda.


É isso.


quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Quer ser melhor?

Me deparo frequentemente com uma série de livros de auto-ajuda. E se há tantas publicações, é porque há mais demanda ainda. Parece que "nos dias de hoje" as almas gritam por conselhos, por necessidade de algo a mais.

"Tá tudo errado!!" Isso não é dos dias de hoje, é desde que a humanidade é humanidade.

O homem não foi criado pra morrer. O pecado é que nos fez ter que pagar esse preço. O homem foi criado para AMAR, porque foi criado pelo AMOR, e a alma anseia estar do lado do Criador, porque no início era assim.

Já lá há anos dizia o salmista "Minha alma tem sede de Deus". Sim! Todas as almas tem sede de Deus. É isso aquele sentimento de profunda necessidade de algo a mais que bate no coração, sentimento de insatisfação com a realidade... é porque a alma anseia por Deus.

Reconhecer a necessidade de Deus é o primeiro passo de uma grande auto-ajuda chamada AUTO-CONHECIMENTO.

O mais incrível é que as pessoas continuam cegas! Se a alma tem sede de Deus, Ele se dá em alimento. Ele é pão vivo que desce do Céu todos os dias para dar às almas vida eterna, e se dá na Comunhão. É o perfeito relacionamento entre Deus e o Homem, quando o homem recebe em sua boca Deus vivo, e o próprio Deus comunga da alma daquele homem.


Quer ser melhor? Comungue na intensidade da sede da tua alma.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

O lugar de recomeçar

Não, não é nenhum título de filme...

O lugar de recomeçar é agora, onde você está, do jeito que você está. E o único exercício é deixar-se ser amado.

Sabe quando falamos algo tantas repetidas vezes, que parece que as palavras perdem seu significado?! É a mesma coisa do que chegar do nada e dizer "Jesus te ama". Sim, Ele te ama imensamente, mas é uma frase que infelizmente foi tão banalizada que não tem surtido o efeito que deveria surtir. E para solução, é necessário exeprimentar esse amor. Sei que existe algum santo ou santa que falava que não é somente necessário que eu saiba que sou amado, mas é necessário que eu experimente que sou amado (ou algo do gênero).

O desejo de Jesus é almas santificadas.

Me apaixonei novamente ao ler a passagem da mulher adúltera (uma dessas passagens que, de tanto lermos, a nossa humanidade não permite que surta um novo efeito) e, percebi como Jesus escrevia na terra!! Todos chegaram perto dele, a ponto de pô-lo à prova, e ele se abaixa e escreve na terra. Note: Jesus se abaixa. Ele se põe em posição inferior à minha, pois a última coisa que Ele deseja é me condenar. Ele se abaixa e escreve na terra. "Do pó viemos e ao pó voltaremos". Nesse momento Jesus meditava as nossas misérias, a nossa humanidade, as nossas fraquezas que nos impulsionam a atitudes incertas. E depois disso tudo, Ele olha para a mulher e diz: "Nem eu te condeno." Ele, todo poderoso, santo, Deus, decide por não condenar aquela mulher. A própria consciência dela já a condenava. Jesus não quer te condenar. Ele só quer olhar nos seus olhos e dizer "Não tornes mais a pecar, o meu desejo é a tua alma santa."

Por isso, esse é o momento de você recomeçar uma nova caminhada com Jesus, somente permita que Ele olhe nos seus olhos.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

À espera do Novo

Noooossa... só agora vi há quanto tempo não postava no blog...
Hoje não vou falar de filme, não... Mas vou falar de um sentimento: a espera.
Sensação de aperto no coração que resulta em esperança;
Sensação de que uma hora vai dar certo;
Sensação de almoçar rápido por estar de olho na sobremesa;
Sensação de olhar no relógio para acabar logo o trabalho e chegar em casa;
Sensação de quinta-feira à noite pensando no fim de semana;
Sensação oposta à de segunda-feira pensando no fim de semana;
Sensação de encontrar quem você morre de saudades a 100 metros de distância e abrir os braços e sair correndo;
Sensação de estar acordado às 5 da manhã e ver o sol nascendo, de pouquinho em pouquinho;
Sensação de bala derretendo na boca para no final poder mastigar o chiclete...
Esperar.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Bons tempos...

Não dá para acreditar!!! Em menos de uma semana, sabe o q passou d novo na TV?!?! "De repente 30"!! Então, acabei de assisti-lo pela milésima primeira vez. E sinceramente, acho q esse filme me persegue.
Já tentei alcançar várias conclusões com isso, e sinceramente acho que Deus está colocando esse filme muito frequentemente para me ensinar algo. Só pode ser! Bem, mesmo que não seja, tirei mais uma conclusão desse filme, que é interessante para a data de hoje.

Tem uma cena, que no meio da epifania da Jenna, ela percebe que gostaria de ter uma revista mais simples, com mais sorrisos, com aquele gostinho de saudade dos bons tempos... E sabe o que eu pensei?! "Bons tempos aqueles..."
Bons tempos em que eu não tinha com o que me preocupar a não ser com o dever de casa de matemática que eu sempre tinha preguiça de fazer;
bons tempos aqueles que todo dia eu comia um docinho e não precisava procurar nada light depois para cortar minha culpa;
bons tempos aqueles que antes dos meus pais chegarem em casa eu fazia um monte de desenhos para eles ficarem felizes;
bons tempos que tinha o Rá Tim Bum, sem nenuma baixaria e o Marcelo Tas era só o "porque sim não é resposta";
bons tempos quando só tinha uma televisão em casa e todo mundo tinha que entrar num acordo do que assistir...

E a minha pergunta é: O que você deu para sua mãe hoje? Ou melhor, o que você se permitiu sentir hoje? Percebi que o que todos nós desejamos mesmo é poder voltar um pouquinho no tempo através das nossas lembranças e (res)sentir aquela fase maravilhosa que foi só nossa, para poder dizer "fui feliz e não sabia". Voltar ao passado é um meio de pegar impulso para ir para frente. Sabe o que dei para minha mãe? Amor!! E vou te dizer que foi um dos anos que o meu bolso doeu menos e que deixou minha mãe mais feliz. Simplesmente desenhei para dizer o que sinto.

Desejo que possamos olhar para nossos passados e soltar suspiros ao lembrar do caramelo Nestlé ou do pirulito Zorro, além de não temer se encontrarmos no meio desse percurso alguns arranhões de feridas que sentimos.

Ou eu permito que a minha história me desfaça, ou permito que ela me refaça.

Obs: Parabéns, Mamãe!!

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Time machine - máquina do tempo?!?!

Deus me deu a graça de estar "adoentada" nesses dois últimos dias. Por isso, precisei ficar em casa de repouso, e como todo bom brasileiro quando está de repouso, fui assitir TV! Ontem eu vi pela milésima vez "De repente 30" e hoje vi "Um homem de família". Bem, você não precisa assitir tudo para saber do que se trata e de como pode acabar. Ambos falam de pessoas que, por um efeito mágico, mudaram de vida. No primeiro, a menina que tinha 13 anos abre os olhos e vê que tem 30 anos. Lembra de um do Tom Hanks?! Igualzinho!! No outro, um homem bem sucedido abre os olhos e se vê morando num subúrbio, com uma vidinha regular.

Independente do enredo e do final (obs: são filmes ótimos!), o que importa é que eles chegam a uma conclusão do que de fato é importante na vida. Só que aí eu parei para me perguntar: como isso acontece na vida real?! Convenhamos, não existe máquina do tempo ou uma fórmula mágica para nos tirar da nossa vida cotidiana. Nós precisamos descobrir o que é importante na vida nessa vida!

São tantos os filmes mágicos que encontramos nas eternas locadoras para nos distrair. E no final das contas, você percebe que tudo que precisamos são bons relacionamentos.

Assim como no Pequeno Príncipe, "tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas." Precisamos conservar as pessoas que Deus designou que entrassem em nossas vidas. E essa responsabilidade se resume em: deixe de ser egoísta e olhe para o outro, perceba a necessidade do outro e lute para que ele/ela seja feliz.
Porém, o maior relacionamento a ser preservado é o relacionamento com o próprio Deus. "todo o que ama é nascido de Deus e conhece a Deus." (IJo 4, 7c) Só consegue conservar bem o relacionamento com o próximo aquele que conserva primeiramente seu relacionamento com Deus.
Imagino a "continuação do final" desses filmes. Acho que não seria aquele momento contagiante perdurando por todos os dias. E sabe por quê? Porque é vida!
Pense bem! Você não terá a chance de reparar seus erros com uma máquina do tempo, ou um pó do desejo, ou através da vela do bolo de aniversário. Você só tem o agora pra perceber que o que realmente importa é a qualidade dos relacionamentos que você tem. E eu tenho uma surpresa: um relacionamento bem vivido gera santidade!
Uma boa reconciliação pra você!